Nesta quarta-feira (09), o Núcleo de Educação e Cultura da Associação Comercial da Bahia (ACB) e o Movimento Via Cidadã promoveram mais uma live do Ciclo de Debates que vem apresentando e discutindo boas práticas que possam contribuir para avanços na educação pública do Brasil. O executivo de Educação do Espírito Santo em Ação, Luciano Gollner, foi o convidado do evento para falar sobre Mobilização empresarial pela qualidade na educação. O conteúdo continua disponível no canal ACB Lives no YouTube.

O movimento Espírito Santo em Ação nasceu em 2003 com o propósito de desenvolver projetos para apoiar iniciativas da gestão pública a partir da experiência de empresários e executivos da iniciativa privada. Desde então, vem aglutinando forças e presença nas principais decisões do estado que envolvem os quatros eixos estratégicos de sua atuação: educação, formação de lideranças, gestão pública eficiente e planejamento a longo prazo.

Como informou Gollner, a atuação do Espírito Santo em Ação pela educação se fortaleceu a partir de 2014, quando a instituição levou para o estado a proposta de metodologia de escolas de tempo integral desenvolvida pelo Instituto de Corresponsabilidade pela Educação – ICE, implantada com sucesso desde 2002 em Pernambuco. Atualmente, o Espírito Santo conta com 133 escolas de tempo integral. Até 2015, havia apenas uma.

“O Espírito Santo em Ação apoiou e articulou uma rede de parceiros para viabilizar e acompanhar a implantação do modelo de escolas de tempo integral. Desde 2015, a instituição é parceira do Estado e de vários municípios no desenvolvimento de projetos, acompanhamento de políticas educacionais e no debate sobre educação de qualidade no Espírito Santo”, destacou o executivo.

“Presidentes, executivos e diretores de empresas foram sentar com o governador, com o Ministério Público, mobilizar a sociedade em torno de um projeto para o Espírito Santo, dispostos a mudar a educação no nosso estado”, complementa Gollner.

Coordenador do Núcleo de Educação e Cultura da ACB e mediador do Ciclo de Debates, o professor Ney Campello disse que com os encontros a instituição está se colocando à disposição do desenvolvimento econômico e social da Bahia a partir da proposta de uma revolução na educação, mas sem querer substituir o estado ou pretender ocupar o espaço da secretaria de Educação.

“Com isso, estamos apenas oferecendo a expertise do setor privado para colaborar com a gestão pública. Quando o tema da educação é proposto, há sempre um desejo de mobilização. E o que precisamos encontrar é o melhor caminho, ou os melhores caminhos, para convergir estas energias contributivas, para que possamos, de fato, fazer uma alteração neste estado de coisas. Se ficarmos calados e omissos, nós não estamos ajudando em nada”, justifica Campello, que acumula experiência como superintendente de Educação Básica do Estado da Bahia.

Já o coordenador do Movimento Via Cidadã e vice-presidente da ACB, Paulo Cavalcanti, destacou que, como ativista da função social da empresa, acredita que o desenvolvimento sustentável do país depende de um sistema educacional pensado com a participação coletiva e consciente de governos, organizações da sociedade civil e empresas comprometidas com o bem estar da sociedade.

“O caminho transformador é o da educação. E para alcançarmos bons resultados precisamos atuar em rede, aglutinar pessoas comprometidas com esta caminhada e com o desenvolvimento econômico e social do Brasil. A verdadeira igualdade se constrói com oportunidades de educação, permitindo que todos possam fazer aflorar seus talentos e, com isso, gerar riquezas. Como sabemos, é com a geração de riqueza que vamos combater a miséria”, finalizou o líder empresarial.